A QUINTINHA

caminho

Considerando o envolvimento físico da HARPA, como uma mais-valia no âmbito da filosofia em que assenta a sua existência – a Antroposofia – têm-se vindo a concretizar ao longo do tempo formas de cuidar desse espaço segundo os princípios da agricultura biodinâmica, preconizados por Rudolf Steiner. Tendo sido a primeira expressão da

agricultura biológica, a sua finalidade, para além de retirar produtos e técnicas agressivas das práticas agrícolas, pretende antes de mais exercer uma função curativa junto da terra, desenvolvendo processos de reequilíbrio e regeneração da sua fertilidade, através da elaboração e aplicação de preparados que atuam como medicamentos.

Esses processos são realizados a nível da horticultura, fruticultura, silvicultura, plantas espontâneas e medicinais e criação de animais. Estes processos são supervisionados por técnicos biodinâmicos que visitam regularmente a nossa Quintinha, desenvolvendo seminários e cursos abertos a todos os interessados.


O QUE COMPÕE O NOSSO ESPAÇO?

 

    • Zona de floresta – pinheiros, cedros, carvalhos, alfarrobeiras
    • Zona de olival
    • Zona agrícola – horta, pomar e estufas
    • Zona de jardim etnobotânico
    • Zona húmida junto à ribeira de Santo António
    • Estábulo

Queremos contribuir para a responsabilização individual no sentido da sustentabilidade da vida, restabelecendo uma proximidade real e afetiva entre o ser humano e a natureza, inserida de forma equilibrada no quotidiano do cidadão.

A sede da Harpa está situada numa quinta, cedida pelos proprietários por contrato de comodato, a qual, para além dos edifícios, tem uma área envolvente de cerca de 3.50 hectares – zona de floresta, zona agrícola, olival, pomar e horta, zona húmida, zona etnobotânica, instalações para animais e de apoio agrícola – no seio da qual se potencializam os conceitos e as práticas inerentes à educação para a sustentabilidade. Os edifícios recuperados para servir as necessidades do projeto, cobrem uma área construída de cerca de 1555m2, constando das instalações do jardim-de-infância, do 1º e do 2º ciclos; um espaço polivalente com cozinha, salas de formação, biblioteca, a Casa das Artes – oficina polivalente de manualidades – para além da Casa da Árvore que funciona como celeiro e armazém de produtos.


Objetivos Gerais

  • Disponibilizar um espaço natural ao Projeto Educativo da HARPA – Educar para a Sustentabilidade ao longo da Vida – nomeadamente a nível da Escola do Jardim do Monte, de forma a introduzir e/ou complementar a aquisição e experimentação de saberes escolares, imprimindo ao mesmo tempo na criança e no jovem uma ligação profunda de respeito e amor pela Terra.
  • Incentivar novas práticas no cultivo da terra e na alimentação segundo os princípios da agricultura biológica/biodinâmica.
  • Despertar a consciência para a responsabilidade individual relativamente à urgência de respeitar e proteger a natureza, concebendo formas ativas de intervenção possíveis dentro das circunstâncias de vida.
  • Cultivar a sensibilidade face à beleza e à verdade que a natureza oferece ao ser humano.
  • Tomar consciência do efeito terapêutico das experiências e aprendizagens realizadas no seio da natureza.
  • Desenvolver capacidades e competências com base em aprendizagens realizadas em áreas dos saberes e artes tradicionais.
  • Contactar e experimentar ideias e práticas inovadoras na área do ambiente – fontes energéticas, tratamento de águas, utilização de plantas espontâneas, etc.

Atividades Transversais

  • Passeios pelos espaços da quinta para observação e reconhecimento da flora e fauna locais
  • Trabalho no terreno a nível da horta e do jardim etnobotânico, estimulando novas aprendizagens
  • Atividades no exterior de orientação e exploração na natureza
  • Ateliers de observação goetheanista e expressão plástica
  • Oficinas de transformação de produtos da natureza
  • Terapias corporais de harmonização e socialização
  • Apresentação e debates sobre temas de desenvolvimento humano